Qual vídeo/vlog vocês querem no canal do youtube?

Pesquisar este blog

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Seguidores

Google Analytics

A Blogueira

A Blogueira
Estudante de Análises Clínicas, formada em técnico em farmácia, técnico em química e atualmente maquiadora profissional, aquariana, 27 anos, adora escrever, adora livros, Potterhead.

Seguidores

Tecnologia do Blogger.
quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O diagnóstico necessita da realização de exames completos de laboratório

Com uma boa investigação e exames ideais, os pais podem saber do diagnóstico de talassemia em seu filho com menos de 1 ano de idade. O ideal é realizar a confirmação diagnóstica entre os três e os seis primeiros meses de vida, de modo que o tratamento – como necessário – inicie logo que possível. Verifique abaixo quais os exames requeridos, quando devem ser feitos e a importância de cada um para a descoberta da doença e a preservação da saúde da pessoa com talassemia.


Hemograma

É o primeiro exame solicitado e serve para, logo no começo, checar se a criança tem anemia ou outra alteração de sangue. Note-se que o hemograma não é específico para a talassemia, podendo ser útil também em outras condições.

Quando fazer: no terceiro mês de vida, particularmente se a criança já apresenta os sinais, como palidez, icterícia (pele e olhos amarelados), sonolência, irritação, choro frequente e dificuldades de sono.

Alerta do Especialista: realizar o hemograma é o primeiro passo, mas para uma possível pessoa com talassemia, este exame não é o suficiente. A talassemia major, por exemplo, inicialmente pode ser tratada como uma anemia comum na infância, o que com certeza prejudica o tratamento futuro. O diagnóstico precoce é essencial para uma melhor qualidade de vida.


Eletroforese de Hemoglobina

Exame de sangue simples e eficiente, é o mais indicado para o diagnóstico da talassemia em crianças com anemias suspeitas. Pode ser feito na maioria dos laboratórios, inclusive de maneira gratuita. Após coleta de 3 – 5 mL de sangue, um processo utilizando eletricidade separa e identifica as hemoglobinas.

Quando fazer: a partir do terceiro mês de vida.


Biologia Molecular

Este exame é mais moderno, e usa técnicas avançadas para identificar com precisão o que causa a má formação da hemoglobina. Na prática, é possível saber não apenas se uma pessoa tem talassemia, mas também qual o tipo. Pode inclusive diagnosticar casos raros de talassemia não identificáveis pela eletroforese.

Quando fazer: dos três aos seis meses de idade.

Advertência do Especialista: nem todo laboratório tem a tecnologia necessária para oferecer este exame, ou o disponibiliza gratuitamente. Em função disto, no Brasil, uma parceria da ABRASTA com o Centro de Hematologia da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) foi feita, para que todos tenham acesso a ambos os exames.

Laboratório de Hemoglobina e Genoma - Centro de Hematologia de UNICAMP - (19) 3521-8661
Você sabia?
Há uma razão para que o diagnóstico da talassemia seja feito apenas a partir dos três meses de vida. Durante os primeiros três meses após o nascimento, as hemácias (células vermelhas do sangue) ainda possuem no seu interior a hemoglobina fetal. Esta hemoglobina não carrega o defeito característico da talassemia. Apenas a partir do terceiro mês de vida, os níveis da hemoglobina fetal diminuem, para que seja substituída pela hemoglobina normal (adulta). Esta é a razão para que o "teste do pézinho", realizado na maternidade para buscar diversas anormalidades (inclusive do sangue) não pode identificar a talassemia. Qualquer diagnóstico feito com relação à talassemia neste período não deve ser considerado.

Fonte: ABRASTA - www.abrasta.org.br/diagnostico-talassemia

0 comentários: